O lado atrevido da ‘Foire’ (*)

Porteira_102_paris

A velha dama se renova e se deixa seduzir pelos prazeres que fizeram a fama da cidade do amor e dos amantes

O espaço ocupou irrisórios três por cento da área total da Feira Internacional de Paris (‘Foire de Paris’), exposição que acontece há 110 anos na capital francesa, durante doze dias, entre final de abril e começo de maio, mas foi o suficiente para dar uma sacudida no esqueleto centenário de um dos principais eventos da Ville Lumière.

Proibido a menores de 16 anos, o estreante ‘Espace Coquin’ (‘Espaço Atrevido’, em tradução livre) destinava-se a adultos interessados em conhecer e testar as novidades que podem dar uma apimentada nas relações amorosas entre quatro paredes.

No comando do local, uma jovem representante do colunismo erótico francês, Camille Emmanuelle, 33, que havia acabado de lançar, em Paris, um pequeno guia da capital francesa (‘Paris-Couche-Toi-Là’, ainda sem tradução para o português, algo como ‘Paris na Cama’), com cerca de sessenta endereços sugestivos de prazer e sedução. A moça garante que testou todos eles, de cursos e estabelecimentos de lazer a produtos, filmes e livros.

Em entrevista à CB News, Camille afirma que tem observado, nos últimos tempos, uma busca por maior equilíbrio no campo sexual. “As pessoas não querem mais sexo-tabu, mas também não querem sentir prazer sexual a qualquer preço, induzidas por publicidades fantasiosas, como ter três amantes, cinco orgasmos por dia ou 23 brinquedinhos sexuais. Os casais [hetero ou homo] procuram informações claras, simples e sem culpa.”

A pitada de ousadia na tradicionalíssima feira teve a total aprovação daqueles mais afoitos que não hesitaram em cruzar a criativa fachada produzida pelo designer Fred Bernard, o mesmo que ilustrou a obra de Camille. “É uma boa ideia! Mesmo que se possa encontrar sextoys na Internet, aqui a gente pode tocá-los e testá-los”, foi o comentário de uma visitante na faixa dos 40 anos.

No recinto ‘atrevido’ podia-se encontrar de brinquedos eróticos e cremes afrodisíacos a lingeries sensuais e livros temáticos para despertar a sensualidade que, segundo Camille, corre sério risco de ficar adormecida diante da correria e da mesmice do cotidiano. Junto às demonstrações das marcas expositoras, o erotismo também embalava shows de humor e magia, aulas de iniciação à pole dance e oficinas de escrita, leitura e poesia para os curiosos visitantes.

Curiosidade saciada e sensualidade despertada, é hora de explorar os outros noventa e sete por cento da “Foire”, como a exposição é chamada familiarmente pelos parisienses.

Sinalização colorida no piso e esteiras rolantes facilitam o passeio pelos cinco continentes. Os números são superlativos. Cerca de mil expositores com 3.500 marcas dispostas em uma área coberta de 220 mil m2. Mais de seiscentos mil visitantes absorvendo as últimas tendências em decoração, artesanato, moda, lazer e gastronomia, das mais diversas procedências. Sofisticação e tecnologia nas cozinhas planejadas e nas coberturas retráteis para piscinas. Mimos franceses feitos à mão, como as marionetes réplicas do ‘Gato de Botas’ ou do ‘Lobo Mau’, bonecas com cabeça e membros em porcelana e tronco em seda pura, além de delicadas luminárias de mesa ao estilo da norte-americana Tiffany. Sessenta shows musicais divertem os mais animados.

Enquanto pequenos grupos observam as talentosas mãos, em ação, de artistas plásticos e artesãos de vários países, outros degustam os melhores vinhos, destilados, queijos, embutidos e patês do mundo. E os divinos chocolates belgas. E as levíssimas crêpes e galettes francesas. Ofertas gastronômicas tentadoras, em torno de R$ 25, como o sanduíche (na baguette francesa, bien sûr!) de foie gras de pato, de Landes, acompanhado de uma taça de vinho branco Pacherenc de Vic Bilh, ambas regiões ao sudoeste da França.

Para Carine Preterre, diretora do evento, a Feira Internacional de Paris reúne tanto as grandes inovações como as pequenas curiosidades do mundo, “que tornam a vida mais bonita, útil e agradável”, declarou por ocasião da abertura prestigiada por Anne Hidalgo, em seu primeiro ato oficial como prefeita recém-eleita de Paris.

Espera-se que o ‘Espace Coquin’ tenha vindo para ficar. Ano que vem, quem sabe, novas filas de ‘atrevidos’ se formarão, ansiosas para desafiar a rotina e manter a sensualidade sempre alerta.

Como acontece desde a fundação do AgroValor, em 2006, este veículo mais uma vez se fez presente ao evento parisiense que cresce a cada edição. O toque indesejado deste ano ficou com a suspensão de ingressos-cortesia para a mídia estrangeira. Seriam os novos e rigorosos ventos econômicos europeus?

PROGRAME-SE PARA 2015
Feira Internacional de Paris
29 de abril a 10 de maio
Parque de Exposições da Porta de Versalhes
http://www.foiredeparis.fr

(*) Artigo de Celma Prata, originalmente publicado na Ed. 102 (agosto/2014), do jornal AgroValor
Ilustração: Lincoln Souza

Sobre Celma Prata

Celma Prata é jornalista profissional e escritora. Autora dos livros "Descascando a Grande Maçã" [Sete_2012] e "Viver, Simplesmente" [Sete, 2016]. Atualmente integra o Conselho Editorial do Jornal AgroValor. É membro efetivo da Academia Fortalezense de Letras, da Associação de Jornalistas e Escritoras do Brasil e da Sociedade Amigas do Livro, onde lidera o conselho gestor para o biênio 2016-2018. Ver todos os artigos de Celma Prata

6 respostas para “O lado atrevido da ‘Foire’ (*)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

prata-na-crônica

Crônicas, Jornalismo e outras Narrativas

Livros e Leitura

Universo mágico da leitura

Mariel Fernandes

As vistas do meu ponto

Riksaint Space

Um espaço dedicado às energias renováveis.

Estalos da Vida

As vezes a felicidade começa em um estalo!

Sobre os dias

sensações, vinhos e faltas.

Vila das Noivas

por Ingrid Martins e Aline Farias

%d blogueiros gostam disto: