A pior idade?

Daqui a três anos contribuirei para engrossar a estatística dos 12% de idosos brasileiros.

A notícia boa é que não estarei sozinha. Terei a companhia de 24 milhões de pessoas. A parte ruim é que nem por isso terei privilégios.

Embora muitos insistam em maquiar a fase a partir dos 60 anos com termos como “melhor idade” – e apesar dos dez anos do Estatuto do Idoso –, até agora a dignidade não passa de objeto de desejo do grupo.

Abandono, violência e abuso financeiro (familiares que se apropriam da pensão do idoso) estão entre as reclamações mais recorrentes, segundo dados do serviço Disque 100, da Secretaria de Direitos Humanos (SDH).

Enquanto países europeus possuem um ministério específico para cuidar dos interesses daqueles que ultrapassam os 65 anos de idade (cinco a mais que aqui), o Brasil fica jogando a batata quente de uma Pasta para outra há uma década. A nossa urgência é que mais alguns pontos percentuais, e seremos um país de velhos – o que deve se confirmar daqui a uns quinze anos – se as projeções não falharem.

Desde que o idoso passou a ser responsabilidade de todos e não mais exclusivamente das famílias – pelo menos nas sociedades ocidentais –, as políticas públicas tentam com leis superar o preconceito e o descaso. O mesmo acontece com outras faixas etárias: criança, adolescente, pessoas com deficiência etc.

Melhor do que se apiedar do velhinho e da velhinha, tratando-os como seres indefesos, infantis ou “bonzinhos”, é respeitá-los como pessoas que já fizeram bondades e maldades, e que, como todos os seres, devem ter assegurado o direito a uma vida digna. Sem privilégios. Sem preconceitos. Só isso.

Sobre Celma Prata

Celma Prata é jornalista profissional e escritora. Autora dos livros "Descascando a Grande Maçã" [Sete_2012] e "Viver, Simplesmente" [Sete, 2016]. Atualmente integra o Conselho Editorial do Jornal AgroValor. É membro efetivo da Academia Fortalezense de Letras, da Associação de Jornalistas e Escritoras do Brasil e da Sociedade Amigas do Livro, onde lidera o conselho gestor para o biênio 2016-2018. Ver todos os artigos de Celma Prata

8 respostas para “A pior idade?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

prata-na-crônica

Crônicas, Jornalismo e outras Narrativas

Livros e Leitura

Universo mágico da leitura

Isabelle Leal

Jornalista que flerta com o mundo da moda desde criança, voltou ao mundo dos blogs para saciar a vontade de escrever sobre os temas que mais gosta de ler e pesquisar sobre. Cresceu assitindo ao programa "Fashion File" com Tim Blanks, assina uma coluna de moda semanal no jornal cearense O Povo há mais de três anos e neste espaço vai dividir um pouco de seus guilty pleasures.

Mariel Fernandes

A vista do meu ponto e outros pontos de vista

Riksaint Space

Um espaço dedicado às energias renováveis.

Dully Pepper24H

Arte pelo Amor, Arte pelo Mundo, Arte pela Paz!

Estalos da Vida

As vezes a felicidade começa em um estalo!

Sobre os dias

sensações, vinhos e faltas.

Vila das Noivas

por Ingrid Martins e Aline Farias

%d blogueiros gostam disto: