Nordeste: vento favorável

 
As notícias sobre os bilhões de euros da União Europeia destinados a recuperar os países menos ricos – ou em crise – da comunidade, me fizeram refletir sobre o nosso próprio país e, mais especificamente, sobre a região Nordeste.
 
O nordeste brasileiro sofre, há séculos, discriminação (ou bullying, para usar o termo da vez) das ricas regiões brasileiras e tal situação parecia sem remédio. Foi preciso a sensibilidade de um presidente oriundo da classe operária para iniciar a mudança do quadro de severas injustiças sociais que nos envergonha a todos, ricos e pobres, ou pelo menos, assim deveria.
 
A revista britânica The Economist, em matéria publicada há cerca de um mês, ressaltou as mudanças na região Nordeste a partir das políticas públicas implementadas pelo Governo Lula. O resultado foi o crescimento, na década passada (dados do IBGE), do PIB da região de 4,2% ao ano, percentual superior ao do país (3,6%).

Com o aumento do poder de compra dos nordestinos, muitas multinacionais se instalaram na região, atraídas pela política de incentivos fiscais dos governos estaduais. A revista ainda destaca a importância do porto do Pecém (Ceará) e do complexo industrial de Suape (Pernambuco) para o desenvolvimento da região. A proximidade com a Europa e EUA encurta a viagem, o que barateia os custos de transporte de produtos entre os continentes.

A UE honra o próprio nome (“união”) ao não permitir enormes distorções socioeconômicas entre seus países membros (haja vista os bilionários incentivos destinados a Portugal, Grécia e Irlanda), política que o Brasil “rico” desconhecia até bem pouco tempo atrás, quando fazia vista grossa às disparidades sociais entre suas unidades federativas. Ingenuidade pensar que lá se age por sentimentos de solidariedade. Mais acertado é o temor do calote, ou o orgulho de fazer parte de uma comunidade rica, na qual todos os integrantes pertencem ao chamado “primeiro mundo”. O fato é que agem. 
 
Voltando ao nordeste brasileiro, ainda falta muito para que a região atinja índices socioeconômicos que nos façam ter orgulho de sermos uma nação desenvolvida. A região continua em patamar bem inferior ao de outras regiões brasileiras. Os governos dos estados nordestinos não podem, entretanto, ignorar o vento que sopra a favor do desenvolvimento da região.  Precisam urgentemente colaborar com maiores investimentos em Educação, senão terá tudo sido em vão. Seria muito humilhante viver eternamente do “Bolsa Família”.
 
Sorry, sul e sudeste, parece que, finalmente, chegou a vez do nordeste.

Fontes:

http://www.economist.com/node/18712379

http://www.ibge.gov.br/home/

crédito foto: Agência T1
 

Sobre Celma Prata

Celma Prata é jornalista profissional e escritora. Autora dos livros "Descascando a Grande Maçã" [Sete_2012] e "Viver, Simplesmente" [Sete, 2016]. Atualmente integra o Conselho Editorial do Jornal AgroValor. É membro efetivo da Academia Fortalezense de Letras, da Associação de Jornalistas e Escritoras do Brasil e da Sociedade Amigas do Livro, onde lidera o conselho gestor para o biênio 2016-2018. Ver todos os artigos de Celma Prata

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

prata-na-crônica

Crônicas, Jornalismo e outras Narrativas

Livros e Leitura

Universo mágico da leitura

Isabelle Leal

Jornalista que flerta com o mundo da moda desde criança, voltou ao mundo dos blogs para saciar a vontade de escrever sobre os temas que mais gosta de ler e pesquisar sobre. Cresceu assitindo ao programa "Fashion File" com Tim Blanks, assina uma coluna de moda semanal no jornal cearense O Povo há mais de três anos e neste espaço vai dividir um pouco de seus guilty pleasures.

Mariel Fernandes

A vista do meu ponto e outros pontos de vista

Riksaint Space

Um espaço dedicado às energias renováveis.

Dully Pepper24H

Arte pelo Amor, Arte pelo Mundo, Arte pela Paz!

Estalos da Vida

As vezes a felicidade começa em um estalo!

Sobre os dias

sensações, vinhos e faltas.

Vila das Noivas

por Ingrid Martins e Aline Farias

%d blogueiros gostam disto: